PUBLICIDADE
in

Seguro Desemprego: O que realmente mudou em 2019

Muita coisa foi dita, mas de fato ninguém sabe ao certo o que realmente mudou no Seguro Desemprego de 2019. Por isso que resolvemos criar este artigo para te ajudar a entender de vez as mudanças feitas. Vamos lá.

Seguro Desemprego

PUBLICIDADE

O seguro desemprego nada mais é que uma forma de assistência temporária que ajuda e socorre os trabalhadores que por ventura tiveram seus contratos desfeitos com as empresas, ou seja, demitido.

Engana-se você se pensa que somente em 2019 tivemos mudanças com esse auxílio. Pois a cada ano que se passou, pequenas mudanças eram feitas a fim de melhorar ou não a situação do seguro. Porém, é fato que em 2019, tivemos as mudanças mais significativas.

Quem tem direito a este seguro?

É sempre importante declarar quem realmente tem direito a receber este auxílio, portanto preste muita atenção.

Se o trabalhador foi demitido sem ou com justa causa, ele possui o direito ao auxílio. Porém, é necessário que realize a solicitação corretamente, preenchendo e levando os documentos corretos até um posto de atendimento do ministério do trabalho ou SINE.

O trabalhador também não pode estar recebendo nenhum outro tipo de auxílio assistencial, não pode ser sócio em alguma empresa ou ter algum tipo de participação societária com as pessoas jurídicas. E também não pode ter recebido seguro desemprego nos últimos 16 meses.

Finalmente compreendendo melhor o Seguro Desemprego e quem tem direito, agora chegou a hora de saber o que realmente mudou em 2019.

PUBLICIDADE

As principais mudanças de 2019

Tempo de carteira assinada

Uma das primeiras coisas foi a exigência de possuir ao menos 12 meses de carteira assinada para solicitar o seguro desemprego. Mas, esse tempo de 12 meses é para quem nunca deu entrada no seguro. Para quem está solicitando o seguro pela segunda vez, o tempo é de 9 meses de carteira assinada e a terceira vez ou mais 6 meses.

Valor do benefício

PUBLICIDADE

Outra dúvida que muita gente costuma ter é sobre o valor do benefício atualmente. E saiba que o seguro desemprego sempre segue uma tabela, e isso não significa que as pessoas sempre irão receber o mesmo valor.

Geralmente usa-se os 3 últimos salários do requerente como base do valor que será a ajuda.

Documentação necessária

Atualmente foi acrescentado alguns documentos que as pessoas precisam levar junto ao posto de atendimento que nada mais são do que bem comuns.

  • Documento de identidade com CPF (pode ser carteira de motorista);
  • Carteira de trabalho;
  • Previdência Social;
  • Documento de inscrição e identificação PIS/PASEP;
  • Requerimento de seguro desemprego;
  • Comunicação de dispensa (impresso pelo empregador no portal web);
  • Termo de rescisão do contrato de trabalho homologado;
  • Extrato de depósito de FGTS.

Com esses documentos você já consegue dar entrada no pedido do seu seguro desemprego.

Viu, se você for ver bem não mudou tanta coisa assim mudou.

Lista VIP

Inscreva-se para receber nosso conteúdo exclusivo por e-mail

Você foi inscrito com sucesso.

Por favor, verifique se seu e-mail está correto.

PUBLICIDADE